Summary: Percolação é a passagem de um fluido através de um meio poroso. Muitos problemas envolvendo conectividade, difusividade e transições de fase podem ser tratados dentro do estudo de percolação. Desde o estudo de duração de incêndios em florestas a ligações moleculares que formam polímeros, uma vasta gama de situação são atacadas utilizando-se a abordagem percolativa.
Tudo começa com uma rede de pontos que podem ou não ter uma extensão espacial, mas que de alguma forma estão conectados, de modo a deixar alguma informação ou fluído viajar através deles. Se essa rede tem 100% de pontos existentes, toda informação passará de sua origem a seu destino sem problemas, no entanto se a rede tem pouquíssimos (ou nenhum) pontos, não haverá transmissão.
Mas há algum valor de probabilidade de ocupação em que a informação passará de não transmitida para transmitida com sucesso. Sabendo que a passagem só ocorrerá entre pontos vizinhos ocupados, o conjunto desses vizinhos ocupados é denominado de cluster. A partir de uma determinada probabilidade de ocupação, se formará um cluster que ligará a origem ao destino . Essa probabilidade é conhecida como probabilidade crítica .
A probabilidade crítica é o que determina a transição entre ‘há percolação’ e ‘não há percolação’ e ela depende da dimensionalidade e topologia da rede em questão, e também do tipo de percolação estudado, porém ela não tem dependência em relação ao tamanho da rede.

Starting date: 2014-05-01
Deadline (months): 24

Participants:

Rolesort ascending Name
Coordinator * Humberto Belich Junior
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910