Eficiência da Recuperação de Líquidos em Tubos Capilares Por Injeção de Fluidos Viscosos

Nome: Debora Cristina Niero
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 20/05/2014
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Edson Jose Soares Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Edson Jose Soares Orientador
Renato do Nascimento Siqueira Examinador Interno
Roney Leon Thompson Examinador Externo

Resumo: Analisa-se experimentalmente o deslocamento de líquidos imiscíveis em tubos capilares. Uma aplicação importante é a recuperação de óleo em meios porosos, onde se faz uso da injeção de fluidos a fim de aumentar a pressão do reservatório e deslocar o óleo que não foi produzido com a pressão natural. A análise capilar é uma forma simplificada e comumente usada para abordar o problema. Tipicamente, devido às elevadas viscosidades dos fluidos envolvidos e às baixas velocidades de deslocamento, estes processos ocorrem com efeitos inerciais desprezíveis e, portanto, todos os testes são conduzidos para valores baixos de número de Reynolds. As escalas envolvidas no processo são muito pequenas o que tornam as forças capilares extremante importantes. O número de capilaridade é explorado desde valores bem pequenos até seu limite assintótico. Um aspecto muito importante do problema é o efeito da razão de viscosidade na fração de massa de óleo não recuperada durante o processo de injeção do líquido removedor. Apresentam-se também visualizações das interfaces das bolhas formadas entre o líquido removedor e o deslocado que indicam uma forte relação da instabilidade com a razão de viscosidade. Dado um mesmo número de capilaridade, a fração de massa perdida aumentou com a diminuição da razão de viscosidades quando consideradas análises feitas nas interfaces, e diminuiu quando calculada conforme uma razão entre a massa recuperada e total, quando analisada porém o efeito da razão de viscosidades igual a 1,82, foi observado um comportamento diferenciado. A existência de um filme residual não uniforme ao longo do escoamento da bolha pelo tubo capilar pode está relacionado a não concordância entre os resultados e ao comportamento distinto para razão de viscosidades igual a 1,82.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910